EDSON FREIRE. Poeta sedutor, suas palavras calam fundo....

Edson Freire. Poeta e escritor.

 Edson Freire, o poeta

Textos

Ano que chega, ano que vai...
        
         Pela   vida,  no   planeta,
         ao  compasso  de  ampulheta,
         em todas  as  circunstâncias,
         a   gente   vê   alternâncias.
         Quando  no  tempo  passando,
         se um ano está acabando,
         outro ano está  chegando.
         Enquanto  anos   trocados,
         nós  vamos  levando o tempo
         ou ,  pelo  tempo,   levados.

         Nessa  marcha, pela frente,
         todavia, é bom que a gente
         focando o ano passado,
         vendo o que aconteceu,    
         se sinta recompensado.
         Olhando  pra  retaguarda,
         neste  ponto  da  jornada,
         uma  pergunta  é  lembrada:
         foi  um  ano  que  valeu?

         Houve tropeço ou  mancada
         nos passos que a gente deu?
         Dos tantos  sonhos  pedidos,
         de  tantos  sonhos  perdidos
         o  velho   ano   o  que fez?
         Muitos  foram  transferidos
         ao   ano  novo,   outra  vez ?    
         Mas,  a  falha  foi  do  ano,
         ou  dos  pecados  que   fiz ?
         Se   porventura   culpado
         eu  peço, pra  mais cuidado,
         nova  chance   feito   bis.
         Sempre,  antes  ou   agora,
         enquanto  a  vida  demora,
         sejamos  crentes  ou  incréus
         tenhamos  olhos  pros   céus,
         tenhamos  olhos  pro  chão,
         mantendo com os semelhantes
         em  sintonias  constantes,
         s o l i d á r ia    relação.
         Ao invés  de  solitária,
         seja  nossa  atuação.
        
          Que em nossa caminhada,
          ano  novo,  feito estrada,  
          tenhamos  nossa  atenção
          quando houver  pedras na estrada,
          ou colher flores na mão.
          Na sequência das pisadas,
          quando houver encruzilhadas,
          se preciso, haja paradas,
          pra  nossa   reflexão.
          Que  na meta  pretendida,
          por conta da nossa lida,
          não se use, em demasia,
          excesso  de  fantasia,
          mas,  que  não falte a coragem
          misturada    à     valentia !

          Sempre é bom, em cada ano,
          muita vontade e bom  senso,
          valendo  sabedoria.
          E  para  arrematar
          nesta minha poesia,
          que em nossa caminhada,
          ano novo, cada dia,
          possamos ter o bom Deus
          nos fazendo  companhia!.            

Edson Freire
Enviado por Edson Freire em 31/12/2010
Alterado em 03/01/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras