EDSON FREIRE. Poeta sedutor, suas palavras calam fundo....

Edson Freire. Poeta e escritor.

 Edson Freire, o poeta

Textos

O TEMPO, O RELÓGIO E O ANO NOVO.
     De quando em quando,
     com o  tempo sempre andando,
     a vida neste planeta
     a um fato importante está  sujeita.
     Fato dentro da eternidade
     que, nos dizeres do poeta,  em verdade,
     é um relógio sem ponteiros.

     Porém, entre nós, pela vida passageiros,
     o relógio  tem  ponteiros.
     Ponteiros, desde segundos, o tempo dividindo
     e as horas, dias, meses, anos, - registrando
     e após  doze meses,  avisando
     que  o  ano  velho está  partindo,
     já que  o  ano  novo está chegando.

     Neste desencontro,
     haverá para o velho o adeus da  despedida
     e para o  novo, a  chegada tão  curtida.

     No derradeiro dia  de dezembro,
     24  horas  transcorridas,
     atrás do grande, o menor ponteiro às  escondidas.
     Segundos mais, no relógio é um novo  dia,
     no meio do  alvoroço e da  alegria.
     Feliz chegada ao ano que  está  vindo,
     contrastando com o adeus  ao  ano  findo.

     O ano velho, ao final de sua viagem,
     o que leva na  bagagem?
     Leva esperas, promessas com desejos,
     leva sonhos,  ilusões  com  seus  gracejos.
     Acontece que  foram tantos os pedidos,
     que muitos dos  pedintes não foram atendidos.

     Mas,  nesse  vai-vem, pensando bem,
     eu acho  que  o ano velho deixa o  que  não fez
     para o  ano  novo,  em  sua  vez.


    

    
Edson Freire
Enviado por Edson Freire em 09/01/2009


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras